O Rugby é um esporte coletivo com contato físico. Suas características de jogo e sua filosofia de aprendizagem possibilitam educar, dar valores e formar jovens saudáveis, com mentalidade esportiva. Pode ser praticado por homens, mulheres e crianças, possibilitando inclusive uma mudança positiva de atitude nos alunos com problemas de conduta escolar.

O jogo é baseado em dois princípios primários, comuns a muitos outros esportes que envolvem uma bola: o time que está com a posse da bola procura marcar pontos, e o que está sem a bola procura readquiri-la, para que possa atacar e marcar os seus pontos.

Mais de 3 milhões de pessoas com idades entre 6 e 60 anos praticam regularmente o esporte. A grande variedade de habilidades e formas físicas necessárias para a prática do esporte significa que existe a oportunidade para indivíduos de todos os tamanhos praticarem o esporte em todos os níveis.

O Rugby passa a imagem de força, garra, técnica, superação de limites e vitória, o que o torna um grande atrativo. O ambiente que envolve as partidas é de muita alegria e amizade, o que dá origem ao chamado “Terceiro Tempo”. É um momento que acontece após cada uma das partidas, no qual os jogadores anfitriões convidam os visitantes para uma reunião de confraternização como gratidão pelo jogo.

No Rugby, mais do que a competição, procura-se sustentar uma filosofia básica para a sua pratica, que engloba amizade, lealdade, respeito ao rival, autocontrole, tolerância, perseverança, sacrifício pessoal e o mais importante, trabalho de equipe. Esses valores sociais são básicos, e é isso que a sociedade busca para os jovens de hoje e do futuro.

O Rugby atingiu a era profissional, mas reteve a tradição de um esporte de recreação. Em uma época onde a qualidade de vários esportes tradicionais está sendo diluída, ou até desafiada, o Rugby se orgulha da sua habilidade de manter um alto padrão de espírito esportivo, comportamento ético e jogo limpo.